Fábio Roberto Notícias // Ilhéus . Bahia

Dormir pouco aumenta os riscos de doença cardíaca

2014-747110639-2014-746984054-insonia_20140829_20140830
Previna-se! Dormir cedo faz bem.

Cada vez mais pessoas estão alongando o dia e encurtando a noite, indo para a cama mais tarde sem adiar o horário de acordar. Mais do que um hábito ruim que provoca sonolência na manhã seguinte, dormir pouco traz diversos prejuízos ao corpo, com maior impacto sobre a saúde cardiovascular, o risco de infarte pode aumentar de 10% a 24% para quem se priva de apenas uma hora de descanso, segundo o professor Martin Young, da Universidade do Alabama em Birmingham, nos Estados Unidos.

Incentivar o repouso de duração saudável é um dos pilares da campanha criada este ano para o Dia Mundial do Sono, comemorado anteontem. A função do descanso à noite é recuperar o organismo para que ele esteja apto a funcionar bem no outro dia. Por isso, várias funções como consolidação da memória e adequação hormonal ocorrem durante as horas de sono.

O descanso inadequado também pode provocar deficiência de imunidade, diminuindo a capacidade de o organismo se defender de infecções e produzir anticorpos após a aplicação de vacinas. A média da população adulta precisa de sete a oito horas de sono por noite para se restabelecer.

Conheça os truques para sentir mais prazer com o sexo oral

oral-372x260
A prática do sexo oral.

Muitas mulheres ficam tensas ao receber sexo oral pensando que tem algo ali da qual ele não está gostando. Pare com isso! Ficar preocupada e com a cabeça em outro lugar só vai fazer com que seja mais difícil para você chegar ao orgasmo.

Quando você fica tensa, tende a deixar a região interna e externa da coxa totalmente duras. E isso, acredite, atrapalha e muito na hora de conseguir chegar ao orgasmo. Além disso, pode ficar desconfortável para ele também, que vai acabar fazendo os movimentos de maneira errada. Clique no leia mais e veja os truques para melhorar a sua intimidade.

Aranha marrom faz a primeira vítima fatal na Bahia

Aranha marrom picou e matou Edneusa (Foto: Reprodução)
Essa aranha é assassina.

Uma comerciante de 44 anos, identificada como Edineusa Bispo dos Santos, de 44 anos, morreu nesta sexta-feira (11). De acordo com as informações da família, a morte de Edineusa ocorreu um mês após o ferimento. A vítima estava internada no Hospital de Simões filho, cidade da região metropolitana de Salvador, desde o dia 17 de fevereiro.

A mulher foi picada, no dia 10 de fevereiro, a busca por atendimento virou uma peregrinação. Primeiro, ela tentou atendimento em um posto de Arembepe, no Litoral Norte da Bahia, no dia seguinte à picada. No mesmo dia, Edineusa esteve em uma clínica particular, na Liberdade, em Salvador, onde fez uma ultrassom e foi medicada.

A saúde de Ilhéus está uma desgraça!

Esqueletos-saude-no-brasil-1
Reflexo da saúde ilheense.

Cada dia que passa tenho mais ojeriza com a gestão pública de Ilhéus. A população sofre com a falta de atendimento médico, filas enormes, posto de saúde fechados, pessoas morrendo por falta de atendimento, ausência de medicamentos e epidemia da dengue, zica e chikungunya. Bem, vamos aos fatos. Um renomado médico da cidade, que pediu para não ser identificado, se aposentou a uns três mês, porém, não que ficar sem nada a fazer, se dirigiu então ao secretário de saúde de Ilhéus, Antônio Ocké, para que conseguisse em algum posto de saúde do município, para que o médico atendesse uma vez por semana 30 pessoas.

A prestação de serviço seria voluntária, sem ônus para os cofres da cidade. E pasmem! Já tem dois meses esse pedido, e o referido médico voluntário não teve uma resposta, por parte do secretario de saúde. Somente nestes dois meses sem resposta, se já estivesse atendendo, teria realizado 240 consultas, sem custos para o município e paciente. Genocídio é pouco nessa administração asquerosa.

Fique em forma no Ballet Fitness

20160311122629
Fique em forma.

Para você que não gosta muito de musculação e está buscando uma atividade diferente e que possa oferecer ótimos benefícios, faça o ballet fitness com a bailarina Jade Vasconcelos formada pela Royal Academy of London.

Aos que preferem o balé clássico, Jade Vasconcelos também estará ministrando aulas.

Local: AABB de Ilhéus, na Rodovia Ilhéus/Olivença
Aula inaugural: 15 de março às 19 horas

Cravo de urubu pode curar casos de dengue, zica e chikungunya

Agricultores garantem que o chá é milagroso.
Agricultores garantem que o chá é milagroso.

Agricultores localizados no Assentamento Várzea do Curral, entre os municípios de Jacobina e Várzea Nova, afirmam ter a tão esperada cura para a tríplice epidemia dengue, zika e chikungunya. Trata-se de uma erva nativa encontrada nos pastos e que leva o nome popular de Cravo de Anum, ou Cravo de Urubu.

A planta está sendo bastante procurada por pessoas infectadas pelo mosquito Aedes Aegypti para utilizar em chás. A erva tem sarado e indicado a diversas outras pessoas que estão infectadas. O cravo de anum ou cravo de urubu é o nome popular de uma planta da família das Borragíneas e tem como nome científico Heliotropium Indicum.

Sindsaúde homenageia mulheres do Hospital Regional de Ilhéus

Sindsaúde homenageou as mulheres do Hospital Regional de Ilhéus.
Sindsaúde homenageou as mulheres do Hospital Regional de Ilhéus.

Com muita alegria o Sindsaúde/Ba e o Sindsaúde/Ilheús, presentearam as servidoras lotadas no Núcleo Regional ( antiga 6@ Dires ) e do Hospital Geral Luiz Viana Filho de Ilhéus, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher – 08/03.

O Sindsaúde/Ilhéus através da diretora do interior: Diala Magalhaes e dos delegados: Dione Magalhães Ramos, Rita de Cássia e Waldir Medrado, agradecem as presenças dos Diretores do Sindsaúde Estadual: Ivanilda Souza Brito, Sandra Carvalho e Dijalma Rossi Bastos, nos trouxeram brindes, informações e nos alegraram com as suas presenças.

Iogurte pode ajudar a reduzir pressão arterial

ilustracao_frutas
Iogurte ajuda no combate a problemas no coração.

O consumo de cinco iogurtes por semana ajuda a reduzir os níveis de pressão arterial em 20%. A conclusão é de um estudo da Escola de Medicina da Universidade de Boston, que revela que o efeito é mais benéfico nas mulheres e nas pessoas que comem boas quantidades semanais de frutas e legumes.

Comparando as pessoas que comem iogurtes pelo menos cinco vezes por semana (o que acontece mais entre o sexo feminino) com aquelas que comem apenas uma vez por mês, a investigação, que analisou 240 mil pessoas entre os 25 e os 55 anos e ainda 51 mil entre os 40 e os 75 anos, concluiu que este alimento é capaz de fazer cair a pressão arterial em 31%, o que reduz significativamente o risco de problemas cardiovasculares.

Como a dengue chegou no Brasil

O mosquito transmissor da dengue, zica e a chikungunya.
O mosquito transmissor da dengue, zica e a chikungunya.

A dengue é conhecida no Brasil desde os tempos de colônia. O mosquito Aedes aegypti tem origem africana. Ele chegou ao Brasil junto com os navios negreiros, depois de uma longa viagem de seus ovos dentro dos depósitos de água das embarcações. O primeiro caso da doença foi registrado em 1685, em Recife (PE). Em 1692, a dengue provocou 2 mil mortes em Salvador (BA), reaparecendo em novo surto em 1792.

Em 1846, o mosquito Aedes aegypti tornou-se conhecido quando uma epidemia de dengue atingiu o Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador. Entre 1851 e 1853 e em 1916, São Paulo foi atingida por epidemias da doença. Em 1923, Niterói, no estado do Rio, lutou contra uma epidemia em sua região oceânica. Em todo o mundo, existem quatro tipos de dengue, já que o vírus causador da doença possui quatro sorotipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4.

Em 1903, Oswaldo Cruz, então Diretor Geral da Saúde Pública, implantou um programa de combate ao mosquito que alcançou seu auge em 1909. Em 1957, anunciou-se que a doença estava erradicada do Brasil, embora os casos continuassem ocorrendo até 1982, quando houve uma epidemia em Roraima. Atualmente, a dengue hemorrágica está entre as dez principais causas de hospitalização e morte de crianças em países da Ásia tropical. Nas Américas, a primeira epidemia de dengue hemorrágico que se tem notícia ocorreu em Cuba, em 1981.

Picada da muriçoca pode provocar reação do zica vírus

IMAGEM_NOTICIA_5
Muriçoca também provoca a zica.

Estudo feito pela Fiocruz Pernambuco indicam que o Aedes aegypti pode não ser o único vetor do zika vírus. O estudo liderado pela bióloga Constância Ayres Lopes detectou a presença do zika em alta carga viral na glândula salivar da muriçoca. Foram realizadas três infecções, em laboratório, em 200 mosquitos.  Para comprovar isso, são necessários outros experimentos, com amostras de mosquito de campo”, explicou Constância, para destacar em seguida que ainda cedo para assegurar a transmissão do Zika pela muriçoca.

De acordo com o JC Online, para testar a possibilidade é preciso encontrar na natureza uma espécie de mosquito infectado com o vírus. Em seguida, o material de campo coletado deve ser analisado, sob acompanhamento da Secretaria Estadual de Saúde. A meta é analisar 10 mil pools de mosquito. Os estudos seguintes podem mostrar o período de incubação do vírus no mosquito, a eficiência da transmissão e a rapidez de dispersão da doença no Brasil.

Imprensa ilheense entra na luta contra a dengue

sindicato-dos-radialistas-de-ilheus-marca-horz
A radiodifusão ilheense na luta contra a dengue.

O Sindicato dos Radialistas de Ilhéus, em nome do nosso presidente, Elias Reis, está propondo a imprensa regional (ilhéus e Itabuna) um grande trabalho de adesão coletiva contra os perigos de doenças como a dengue, chikungunya, zika e, consequentemente, a microcefalia, que tem deixado as gestantes preocupadas.

Gostaríamos de saber posição do sindicato dos radialistas de Itabuna; da ABI, Associação Baiana de Imprensa, na pessoa do amigo Ramiro Aquino e diretoria. Estendemos o convite aos nossos companheiros da assessoria de imprensa da prefeitura de ilhéus e Itabuna e, Ascom da Câmara de Ilhéus e Itabuna.

Discutir e agir: é a meta!

Dengue, zika ou chikungunya. Saiba finalmente a diferença

size_810_16_9_denguex
Epidemia avançou para todo pais.

Dengue, zika e chikungunya são três infecções transmitidas pelos mesmos vetores, os mosquitos Aedes aegypiti e o Aedes albopictus. Elas possuem sintomas parecidos, mas algumas características podem ajudar a diferenciá-las. Não existe tratamento específico para as infecções por estes vírus. Por isso, ao apresentar os sintomas a pessoa não deve se automedicar.

A orientação do Ministério da Saúde é que na presença de qualquer sintoma, o paciente procure a unidade de saúde mais próxima. Além disso, deve fazer repouso e ingerir de bastante líquido durante os dias de manifestação de sintomas. Alguns medicamentos como ácido acetilsalicílico e outros anti-inflamatórios, podem aumentar complicações hemorrágicas, principalmente em caso de dengue. Confira as principais diferenças entre a dengue, zika e chikungunya clicando no leia mais.